Jornal Aleluia: 300 edições de comunicação do Evangelho – Set/2005

Um dos meios mais eficientes
no processo de comunicação é a palavra escrita.

A Bíblia, por exemplo, constitui-se
no livro de maior poder de comunicação.
No entanto, para que suas mensagens
sejam interpretadas e transmitidas
é necessária a sua divulgação,
que poderá ocorrer pela oralidade
ou através da escrita.

Comunicar quer dizer fazer-se propagar ou transmitir uma mensagem. Sem comunicação seria impossível estabelecer relações entre os diversos povos, propagar descobertas técnico-científicas e promover o sentido de unidade entre as nações, isto é, não é possível imaginar a convivência entre as pessoas, sem que elas tenham a capacidade de expressar suas vontades e opiniões. Cada pessoa seria um mundo à parte, se não houvesse a troca de experiências. Neste caso, a mídia, que se traduz pelos meios de comunicação, tais como a TV, o rádio, os jornais, as revistas e outros mais, constitui-se no suporte principal no processo da comunicação.

Assim, registramos essas palavras, com propósito de lembrar que o Jornal Aleluia, fundado em fevereiro de 1972, acaba de atingir a significativa marca de 300 edições. Não se trata de um jornal qualquer, mas do órgão oficial da Igreja Presbiteriana Renovada do Brasil, que fora idealizado com o propósito de debater e proclamar a mensagem da renovação espiritual e do avivamento que se instaurara no final da década de 60 em nosso país, bem como o de anunciar a palavra de salvação do evangelho do Senhor Jesus.

Portanto, nesta oportunidade, gostaria de refletir sobre alguns aspectos relevantes sobre o Jornal Aleluia.

O Aleluia e seus redatores

Uma das marcas das comemorações das 300 edições do Jornal Aleluia é o trabalho de seus redatores, ou seja, das pessoas que têm a grande responsabilidade no preparo e revisão das matérias a serem mensalmente publicadas neste Jornal. Não há dúvidas de que se trata de um trabalho criterioso e que exige capacidade e muita dedicação.

Para que as 300 edições fossem publicadas, foi necessário o empenho de sua liderança e de seus redatores, como, por exemplo, do professor Joel Ribeiro de Camargo, diretor da Junta de Publicações, que está à frente do Jornal desde a edição de número 3, assim como os pastores Rubens Paes e Francisco Araújo Barretos Neto, que atualmente trabalham na redação e publicação do Jornal, das Revistas de EBD, de livros, de folhetos e de todo tipo de material para as igrejas. É um trabalho que precisa ser valorizado por todos.

Por outro lado, não podemos esquecer-nos de outros pastores como José Sidney Dantas, Zinaldo Martins, Valteno Hercílio de Oliveira e Davilson José de Araújo que, em anos anteriores, atuaram na produção deste abençoado Jornal. Precisamos reconhecer o trabalho desses e de todos denodados servos de Deus que durante esses anos prestaram e prestam serviços à causa do Senhor na IPRB. A nossa gratidão a Deus pela vida de cada um deles.

O Aleluia e seus escritores

A trecentésima edição do Jornal Aleluia é resultado de um trabalho participativo, isto é, além do esforço e dedicação dos redatores, há, também, a colaboração dos pastores, lideranças em geral (presbíteros e diáconos) e irmãos das igrejas renovadas em geral, que enviam artigos e notícias para serem publicados no Jornal.

Falo em colaboração, porque cada edição do Jornal Aleluia conta o apoio e participação dessas pessoas. Além do mais, há de se considerar que o Aleluia é um Jornal em que todos têm a oportunidade de escrever e publicar matérias alusivas às suas igrejas e Presbitérios. Trata-se de um canal para abençoar as famílias cristãs e não-cristãs e evangelizar os pecadores.

Um detalhe importante a ser observado é que os artigos publicados procuram evitar uma linha polêmica, mas têm como objetivo principal a edificação do povo de Deus. Por isso, trazer à lembrança àqueles têm seus artigos publicados e àqueles que são escritores colaboradores deste meio de comunicação e das revistas de EBD é, da minha parte, um simples ato de gratidão a Deus.

O Aleluia e seus objetivos

A princípio, um dos objetivos deste Jornal foi informar às igrejas renovadas sobre os acontecimentos da obra de avivamento espiritual, na década de 70, nas igrejas Presbiterianas dos Estados do Paraná, Minas, São Paulo e Goiás. Com o passar do tempo, este veículo foi recebendo forma de Jornal Evangélico e ganhando espaço no meio Presbiteriano Renovado. Hoje, é considerado o meio mais eficiente de comunicação interação entre o povo renovado.

Portanto, os leitores do Jornal Aleluia, em especial os membros da Igreja Presbiteriana Renovada do Brasil, têm participação especial nas comemorações das 300 edições. O mérito é de Deus que concedeu graça e coragem aos seus fundadores (pastores Abel Amaral de Camargo, Azor Etz Rodrigues e Palmiro F. de Andrade – em memória – e Nilton Tuller), redatores e escritores para atingir este número expressivo e histórico. São 300 edições que registram para as gerações posteriores a história da IPRB.

O Aleluia e seus leitores

Mas não basta produzir um bom jornal, recheado de notícias e de artigos edificantes nem tão pouco um jornal com uma linda folha de serviços prestados à denominação, se hoje ele não está chegando às mãos dos membros de nossas igrejas. Por isso, gostaria de apelar aos pastores, lideranças e membros em geral para promover em suas igrejas um esforço específico, um empenho, a fim de elevar o número de leitores e de pessoas que se beneficiam dessa literatura.

É inadmissível que uma denominação como a IPRB de, aproximadamente, 100 mil membros tenha um número tão insignificante de assinantes. Eu penso que cada família, pelo menos, poderia ter uma assinatura. Cada igreja poderia subscrever uma cota do Jornal, como já orientou, nesse sentido, a Administrativa.

Desta forma, em nome da Diretoria Executiva da IPRB, gostaria de agradecer e abençoar a todos que têm contribuído de uma maneira ou de outra para a continuidade do trabalho do Jornal Aleluia. Que Deus abençoe ricamente a atual diretoria da Gráfica e Editora Aleluia e todos que trabalham nesta Instituição. Vamos carregar esta bandeira e proclamar o evangelho de Jesus a todos os povos, Mc 16: 15.

……………………

Fonte: Jornal Aleluia de setembro de 2005

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *